Jantar de Natal da Empresa: Sonho ou Pesadelo?

Uncategorized

Desde que as empresas existem que os seus líderes procuram encontrar formas de inspirar e motivar os seus colaboradores. Manter e motivar o seu capital humano é uma das mais importantes vantagens competitivas que uma organização pode ter face ao tecido empresarial de influência do seu setor.

Hoje sabemos que muito poucas pessoas trabalham numa empresa apenas por dinheiro, compensações, regalias ou prémios. Claro que é um recurso importante, mas quando se trata de inspirar e incentivar pessoas, o dinheiro é de longe o fator diferenciador.

Muito se fala em pensar ‘fora da caixa’ e em atitude inovadora, mas será que em Portugal isto espelha a realidade corporativa das pequenas e médias empresas? Ou é apenas um benefício de alguns indivíduos que se interessam pelo tema, mas depois chegam às empresas e deparam-se com imensas barreiras à implementação e grandes dificuldades de comunicação?

Pois é, mas e se motivar, inspirar e fixar os funcionários na empresa for muito mais barato e eficaz do que tem sido até agora? Arriscarias a experimentar? Sim. Não. Talvez. Pensa um pouco, e quando terminares de ler este texto podes responder. É que o futuro da tua empresa depende desta resposta!

O  maior desafio de uma equipa de executivos é que a maioria das pessoas está hoje no seu local de trabalho a pensar no post que fizeram ontem no facebook, nos likes das fotos do instagram, no que vão fazer no fim de semana que nunca mais chega ou ansiosas que chegue a pausa para o café.

Esta é uma constatação e é o mindset  de milhares de portugueses. Enquanto indivíduos os empregados podem sentir-se frustrados e desencorajados e enquanto organização é cruelmente assustador.

Por isso pergunto, estará um funcionário 50% motivado?, 60% motivado?, 90% motivado? Ou pior, estarão todos desmotivados? Tens estes dados apurados nos teus relatórios? Estarão em média todos os funcionários 80% motivados? Faz tu mesmo as contas! A variável motivação está a custar-te 20% da massa salarial anual! Qual o efeito que apenas este indicador terá nas tuas vendas? É alarmante, não é?

Todos os aspetos do teu negócio são negativamente influenciados por esta desmotivação. E serão os verdadeiros custos possíveis de apurar? Eu prefiro falar de ganhos a partir do momento em que se toma consciência disto e a partir do momento em que se apura a verdade e se passa a observar esta terrível tendência como uma real ameaça a reverter. Sim, porque esta vulnerabilidade pode transformar-se na força da empresa, da equipa ou do departamento.

Sabemos que a empresa se rege para além do objetivo lucro e do seu objeto social, pela sua missão e pelos seus valores. E os seus funcionários? Individualmente qual será o seu objetivo? Qual será a sua função? O que guia as suas ações? O que influencia o seu desempenho? Será contribuir para que a empresa alcance os seus objetivos e metas? Essa deveria ser a resposta. Mas não, não é!

A grande fatia dos empregados de uma empresa não conhece a sua missão, os seus valores, o porquê de estar no mercado e a quem serve. Sabe essencialmente que tem de contribuir para o aumento das vendas e sabe muito bem quais as penalizações por chegar atrasado, sabe que lhe vai sair caro se se recusar a fazer aquelas horas extra que lhe pedem para fazer no próprio dia e sem aviso prévio, sabe muito bem os seus direitos na lei do trabalho e na segurança social. Isto é o que a maioria sabe.

O meu convite é que penses verdadeiramente nisto agora. Ninguém conhece melhor o teu negócio do que tu mesmo. Esquece o jantar de Natal que tens de preparar e as metas e os indicadores para 2017 por uns momentos. Conheces efetivamente a tua equipa? Quer sejas o CEO, o líder, o chefe, o responsável pela limpeza, pergunto? Conheces mesmo a pessoa que está a teu lado? Quem é ela e qual a sua individualidade? Descobrir isto de forma genuína e interessada vai fazer disparar o teu sucesso e popularidade individual e transformar o teu negócio elevando-o a outro nível.

 

 

As empresas existem para servir as pessoas, tanto os seus clientes como os seus funcionários.  Trata-se de uma complementaridade surpreendente. Quando as organizações e os seus líderes se esquecem disto, caminham largamente para a falência económica e social. Mas não desesperes! Vais mesmo a tempo de recuperar o tempo perdido. Parece uma redundância, mas não é. Progresso e evolução são os ingredientes vitais para a felicidade e para o sucesso das pessoas e das organizações. Vamos então abraçar esta ideia sem culpas nem ressentimentos?

A excelência humana é um alvo perseguido pela grande parte das pessoas. Tornar-se melhor hoje do que se foi ontem é uma aspiração consciente de muitos indivíduos e também das empresas. Por isso, conhecer de que forma o empregado pretende tornar-se melhor na sua vida e por sua vez sentir-se feliz e realizado é a grande e importante descoberta que tens a fazer. E melhor, depois disso, descobrir de que forma a empresa pode servir de veículo para essa conquista. Sabendo isto, terás o segredo desvendado e pessoas totalmente disponíveis a perseguir os sonhos da empresa.

Esta atenção e cuidado personalizado é de tal forma poderoso que o funcionário sente-se acarinhado, ouvido e incluído como peça fundamental para a empresa. Esta sensação de conexão é tão intensa que nenhuma oferta externa levará o colaborador a trair esta lealdade e nenhuma dificuldade ou desafio interno à empresa será um obstáculo à sua produtividade, empenho e dedicação.

É por isto vital inquirir a tua consciência e ouvir mais o teu coração. Aqui está o verdadeiro ganho. Descobrir os sonhos e as aspirações dos funcionários é a chave do sucesso. No artigo que escrevi sobre O PODER DOS SONHOS  descrevo como os sonhos mesmo sendo invisíveis são poderosos e como eles comandam a vida das pessoas, mesmo daquelas que já se esqueceram de sonhar. E os sonhos dos funcionários são de fato importantes, assim como os funcionários o são. Se assim não o fossem, por que motivo os contratas-te? Partindo desta verdade cabe-te a ti agir. Acredito mesmo que este ano o jantar de Natal vai ganhar outro significado!

Liliana Espinhal Dias (Dream Coach – PNL)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *